Mais de 5% dos doentes renais estão sem vaga na hemodiálise

 

 

 

Presidente Prudente, quinta-feira, 10 de março de 2016


Num quadro que se assemelha ao panorama nacional de falta de vaga na hemodiálise para doente renal crônico, no oeste paulista o déficit supera 5%. A prevalência nessa modalidade de serviço ambulatorial é de 360 pacientes, enquanto faltam pelo menos 20 vagas. Essa carência resulta em outro problema que é a internação. Toda situação se arrasta por mais de 1 ano e sem perspectivas de solução, ainda que a Defensoria Pública e o Sistema de Saúde estejam empenhados na criação de vagas. As informações são do médico nefrologista responsável técnico pelo serviço de hemodiálise do Hospital Regional (HR) Dr. Gustavo Navarro, também professor da Faculdade de Medicina de Presidente Prudente (Famepp), da Unoeste.



O médico esteve na mobilização popular pela conscientização da prevenção de doenças renais, realizada neste Dia Mundial do Rim num dos mais populosos bairros da zona oeste da cidade: o Conjunto Habitacional Bartholomeu Bueno de Miranda, mais conhecido como Cohab. Os organizadores estimam que pelo menos 600 pessoas compareceram à Praça da Juventude e Longevidade “Lucas Nalini Paschoalin”, onde receberam orientações e serviços preventivos de saúde, das 8h às 12h. Para o nefrologista a prevenção exerce um papel significativo para evitar, no futuro, um colapso do sistema nesse segmento. O médico também elogiou a iniciativa da Sociedade Brasileira de Nefrologia, por ter adotado o tema “a prevenção da doença renal começa na infância”.



As doenças renais decorrem de maus hábitos de vida, associados ao sedentarismo e ao excesso de peso vinculado a ingestão de gordura e de sal; conforme o Dr. Navarro que aponta ainda para a tendência de crescimento do problema, devido a longevidade da população brasileira e por conta de que quanto mais velha a pessoa, maior a probabilidade de contrair enfermidades. Nas ações desta quinta-feira (10), como o foco era a criança, um grupo de alunos da Escola Estadual Joel Antônio de Lima Genésio esteve na praça da juventude e recebeu orientações da nutricionista Maira Viviane, voluntária da Associação de Apoio ao Paciente Renal Crônico e Transplantado (Carim). No alerta voltado à prevenção, falou sobre hábitos alimentares das crianças brasileiras, sendo que uma a cada três está acima do peso.



A maioria dos participantes era adultos, especialmente os da terceira idade. Foram oferecidos, gratuitamente, aferição de pressão arterial, glicemia, colesterol, creatinina, HIV, sífilis, hepatite A e B, massagem cardíaca, orientação nutricional, massagem corporal, recreação e orientação de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da febre-amarela, dengue, zika virus e chikungunya. “Já que organizamos um evento para prevenir doenças renais, também inserimos outras doenças e cuidados gerais com a saúde; estimulando ainda mais a participação das pessoas”, disse a assistente social da Carim, Elaine de Oliveira Almeida. A Unoeste esteve entre os parceiros, com os cursos de Medicina, Farmácia e Estética e Cosmética.



Estudantes da universidade contribuíram com a oferta de serviços, orientados e acompanhados pelas professoras Cláudia Álvares Calvo Alessi e Rosângela Cristóvão Ferreira, juntamente com o assessor de integração comunitária da Pró-reitoria de Extensão e Ação Comunitária (Proext), Darci Galbiati. Também foram parceiros o Serviço Social da Indústria (Sesi), Corpo de Bombeiros, Associação Comercial e Empresarial de Presidente Prudente (Acipp), Comissão de Doação de Órgãos (Hospital Regional, Santa Casa, Rotary e outros) e a prefeitura através da Coordenadoria Municipal dos Direitos das Pessoas com Deficiência e Secretaria Municipal de Saúde, incluindo a Vigilância Epidemiológica e o Programa DST/Aids.



Desde o ano passado, em Presidente Prudente as ações pelo Dia Mundial do Rim ganharam nova dimensão, com a realização de uma espécie de mutirão de saúde. Em outras cidades, em atendimento ao apelo da Sociedade Brasileira de Nefrologia, prevalecem a orientação e aferição da pressão arterial. “Nós recebemos estímulo e ajuda da associação, que nos envia as camisetas e material de divulgação, para a qual prestamos informações e junto a ela podemos sentir o diferencial que a Carim pode promover, o que ocorre devido aos bons parceiros que temos”, comentou Elaine.

Dia Mundial do Rim – Essa efeméride que ocorre anualmente, sempre na segunda quinta-feira de março, motivou o Hospital Regional (HR) a realizar prevenção em praça pública (foto). A escolha recaiu na Praça 9 de Julho, no centro da cidade, com orientação e prestação de serviços, das 8h30 às 12h, por estudantes de Medicina e Nutrição, junto com as professoras Bianca Depieri Belmont e Sandra Cristina Genaro, e o assessor Galbiati. Também atuou a equipe multidisciplinar da hemodiálise do hospital, formada por profissionais da psicologia, nutrição e enfermagem. Os serviços consistiram na triagem para identificar pessoas no grupo de risco em relação a doenças renais, aferição de pressão arterial, aplicação do teste de glicemia (diabetes) e orientação nutricional.

 

Este é um projeto educacional sem fins lucrativos.
Ajude-nos a manter este projeto em funcionamento.
Doar