Justiça nega registro de Agripino para concorrer a Prefeitura

 

                                                                                                                              Foto: Assessoria

                                              Agripino Lima: recurso junto ao TRE

 

 

Presidente Prudente, quarta-feira 25 de julho de 2011

 

O registro da candidatura de Agripino Lima (PMDB) para concorrer ao cargo de prefeito de Presidente Prudente é negado pela Justiça Eleitoral. A decisão do juiz Michel Feres, ao acatar solicitação do Ministério Público Eleitoral e do diretório do PRTB, levou em consideração a suspensão dos direitos políticos do pretenso candidato, decorrentes de condenações por improbidade administrativa quando prefeito da cidade pela terceira vez, antes da gestão atual.

 

Por determinação judicial está proíba propaganda política por Agripino Lima. Caso não cumpra, a multa está fixada em R$ 100 mil por dia. O diretório do PMDB recorre da decisão e pretende obter o amparo do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) à manutenção da candidatura à frente da chapa O Povo no Poder, onde Agripino tem como vice seu filho Paulo Lima, do mesmo partido.

 

A Justiça também barrou as pretendidas candidaturas de Clóvis Lima (PR), atual vereador e que foi exonerado do serviço público junto ao INSS por exercer proveito pessoal; de Jorge Galli (PSDB), ex-vereador condenado por ato de improbidade; e Carlos Roberto Lopes Marcelino (PT), que utiliza o nome de Douglas do Espeto´s Bar, devido a condenação criminal. Cabem recursos.

Este é um projeto educacional sem fins lucrativos.
Ajude-nos a manter este projeto em funcionamento.
Doar