Ipem paulista encontra erros em material escolar

 

Presidente Prudente, sexta-feira 21 de janeiro de 2011

 

O Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo (Ipem-SP), autarquia vinculada à Secretaria da Justiça, reprovou 13 dos 125 lotes de material escolar avaliados durante os dois dias da Operação Minerva. Os itens irregulares (10,40% do total) continham menor quantidade de produto que o informado na embalagem.

A operação especial verificou simultaneamente nos laboratórios do Ipem-SP em São Paulo, Bauru, Campinas, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, São Carlos, São José do Rio Preto e São José dos Campos itens como papel sulfite, corretivo, cola, purpurina, dentre outros.

"É importante que o consumidor não seja lesado, pagando pelo material e recebendo menor quantidade. Por isso o Ipem fiscaliza e autua empresas que não respeitam os direitos do consumidor", declarou o superintendente do Ipem-SP, Fabiano Marques de Paula.

No segundo dia da fiscalização, ocorrido na terça, 18, foram fiscalizados 63 lotes de produtos e nove (14,29%) apresentaram erros quantitativos.As empresas autuadas têm dez dias para apresentar defesa ao Ipem-SP, que define a multa de R$ 100 a R$ 50 mil, dobrando na reincidência.

Se o comerciante não apresentar nota fiscal do produto, ele assume total responsabilidade sobre possíveis erros.Em 2010, seis (6%) dos 100 lotes de materiais examinados pelo Ipem-SP foram reprovados.

Em Presidente Prudente, foram detectadas irregularidades na cola branca Frama 40 gramas - de 14  embalagens analisadas a média de falta do produto foi de 1,0 grama (2.50%); tinta acrílica decorativa Gato Preto - em 9 embalagens constatou-se a média de 3,7 ml a menos (3,70%); e papel crepom rosa Art Floc - de 14 amostras, cinco apresentaram erros, sendo o maior deles de sete centímetros no comprimento.

 

Fonte: Assessoria do Governo de São Paulo 

 

Este é um projeto educacional sem fins lucrativos.
Ajude-nos a manter este projeto em funcionamento.
Doar