Espetáculo de primeira grandeza atrai cerca de 1,2 mil pessoas

 

 

Presidente Prudente, 15 de dezembro de 2014

 

As quatro apresentações de ``O Quebra-Nozes´´ atraiu cerca de 1,2 mil pessoas ao Teatro Paulo Roberto Lisboa, no Centro Cultural Matarazzo. Foram duas apresentações no sábado (13) e domingo (14), à tarde e à noite. Foi um espetáculo de primeira grandeza, envolvendo mais de uma centena de alunos, crianças e adolescentes; além dos jovens que participaram como solistas. O espetáculo, na acepção do termo e da palavra, teve a assinatura da coordenadora do projeto: Elga Urel. 

 

Quando se diz sobre o sentido real do termo e da palavra, refere-se àquilo que é excelente, maravilhoso, sensacional ou fabuloso e caberia ainda mais outros adjetivos. Fato é que o InPrudente, com o aporte do Programa de Ação Cultural (ProAC) mantido pela Secretaria de Estado da Cultura, vai além de palavras que qualificam, caracterizam ou classificam um substantivo. Não há como dimensionar o valor do projeto de grande alcance social que, após meses de aulas e ensaio, ainda oferece espetáculo.

 

Além do balé, enquanto estilo de dança e arte, o que se viu na apresentação de ``O Quebra-Nozes´´ foi um conjunto de ações capaz de prender a atenção das pessoas, de todas as idades, por mais de 1 hora e meia. A grande maioria, das cerca de 400 pessoas por apresentação, estava assistindo pela primeira vez. Como o teatro tem capacidade de 470 lugares, então esteve praticamente lotado em cada apresentação, nas quais saltavam aos olhos os movimentos matematicamente coreografados.

 

Tudo parecia milimetricamente medido, reservando para cada momento um figurino diferente e sempre belo. As músicas passaram pelo repertório dos maiores compositores história mundial. O som de extrema qualidade. Projeções visuais permitindo uma viagem pelo mundo, com suas belas paisagens culturais e arquitetônicas. A iluminação, um primor. O teatrólogo e secretário municipal de Cultura, Fábio Nougueira, controlou pessoalmente as teclas de navegação dos equipamentos digitais.

 

Esse envolvimento pessoal não foi apenas um detalhe, pois representa reconhecimento ao trabalho desenvolvido por Helga Urel e o alcance da dimensão do ProAC. E não foi o único a contribuir. Teve a participação especial de Agnaldo Souza, professor doutor de Artes Cênicas da Universidade Estadual de Londrina (UEL), ex-aluno da coordenadora do InPrudente. Também participaram nove solistas: Catarina Scarabotollo, Farley Ferenzi, Fernanda Benvenuto, Juliana Tarumoto, Lysia Faria, Mariana Silva, Natalia Marques, Nelio de Paula e Tamara Barbosa.

 

Todos mereceram aplausos. Helga Urel mereceu e merece reverências, como as recebidas de seus alunos, dos colegas e do público ao final do último dos quatro espetáculos, na noite de domingo.  Deferências que certamente vão além do espetáculo ofertado gratuitamente, por alcançar a parte social do projeto, por responder à proposta do ProAC  voltada à democratização da cultura e por colocar em evidência a arte e avida, no sentido da criação, da construção, da reprodução, da razão, da emoção, do corpo e mentes saudáveis, do coração e da alma.

 

 

Este é um projeto educacional sem fins lucrativos.
Ajude-nos a manter este projeto em funcionamento.
Doar