Pronatec campo se adequa às necessidades da região do Pontal

 

Presidente Prudente,  7 de agosto de 2014

 

 


 
Membros da câmara técnica de educação e cultura do Colegiado de Desenvolvimento Territorial (Codeter) do Pontal do Paranapanema estão empenhados na oferta de cursos técnicos para moradores em assentamentos da reforma agrária. As discussões sobre o assunto se intensificaram no ano passado, resultando em grande mobilização durante o primeiro semestre deste ano, sendo que somente em Mirante do Paranapanema foram mais de 300 pré-inscritos. A previsão era começar alguns cursos neste segundo semestre, mas ficou para o próximo ano, diante das especificidades para atender a região do Pontal e de estar em andamento estruturação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFSP) em Presidente Prudente. A Unoeste e a Unesp contribuem na formulação de metodologias a serem aplicadas pela pedagogia do campo, para que os cursos atendam às reais necessidades de trabalhadores inseridos na agricultura familiar.
 

 

Num processo de compartilhamento das decisões, vários cursos foram solicitados pelos assentados e os três com maior número de interessados são os de auxiliar técnico agropecuário, produtores de derivados do leite e agricultor familiar. Os pré-inscritos estavam ávidos pelo início dos cursos agora em agosto, não apenas os de Mirante, mas também os de Sandovalina, Teodoro Sampaio e Presidente Venceslau. Embora os cursos estejam previstos para serem realizados nas escolas dos assentamentos, as instalações do IFSP em Prudente ficarão prontas no fim deste ano, na antiga Escola Municipal Nirma Jorge, no bairro rural do Aeroporto, à margem da rodovia Assis Chateaubriand. Uma unidade do instituto que conta com apenas três funcionários, responsáveis pela gestão e questões administrativas e já envolvidos em alguns cursos em andamento, em municípios próximos a Presidente Prudente. Porém, a questão mais premente é preparar os cursos de acordo com a realidade do Pontal.
 

A mais recente reunião para tratar do assunto ocorreu durante a tarde desta terça-feira (5), na Escola Estadual da Fazenda São Bento, no assentamento conhecido como Pé de Galinha, a 20 quilômetros da zona urbana de Mirante. Participaram 35 pessoas, representantes de associações de moradores em assentamentos de quatro municípios; o diretor do IFSP em Prudente, Caio Marcus Dias Flausino; o analista do Ministério do Desenvolvimento Agrário, Manoel Dimas Tavares; a assessora do Instituto de Estudos e Assessoria ao Desenvolvimento (Ceades), Elisangela Viudes Barbosa; a professora da Unesp em Prudente, Dra. Maria Peregrina Fátima Rotta Furlanetti; a coordenadora de ações culturais, esportivas e sociais da Pró-reitoria de Extensão e Ação Comunitária (Proext) da Unoeste, Graziella Plaça Orosco de Souza; e o coordenador executivo do Codeter do Pontal, Josenilton Xavier do Amaral ‘Mossoró’. Os representantes dos assentados solicitaram urgência no início dos cursos.
  

Ficou convencionado que haverá prioridade para os cursos com maior número de interessados pré-inscritos, sendo que cada turma é de 30 pessoas, conforme Flausino. Ao estudante é ofertado material escolar. Cada aluno recebe R$ 3,75 por hora estudada, para custear transporte e alimentação.  Par finalizar a formulação metodológica dos cursos a serem desenvolvidos com recursos do Pronatec campo, incluindo a elaboração de relatório com os materiais necessários, nova reunião da comissão para tratar do assunto já está agendada. Será dia 3 de setembro, às 14h, na escola do Pé de Galinha. Tavares solicitou aos assentados que permaneçam mobilizados e mantenham diálogo com o Codeter para compatibilizar a demanda de cursos e remeter a demanda à Delegacia Federal do Ministério do Desenvolvimento Agrário em São Paulo.

Este é um projeto educacional sem fins lucrativos.
Ajude-nos a manter este projeto em funcionamento.
Doar