Fapesp libera aporte à pesquisa sobre mutação de brachiaria

 

Foto: João Paulo Barbosa/AI
                                                   Doutores Santista e Barbosa no plantio de bracharia

 

Presidente Prudente, quarta-feira 12 de dezembro de 2012

 

Pesquisadores da Unoeste – que atuam no Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Agronomia – estão empenhados em promover mutação da brachiaria brizantha marandú, o capim mais utilizado no Brasil para cria, recria e engorda de animais. É cultivado em cerca de 70 milhões de hectares, ante 20 milhões de hectares da cana-de-açúcar. O comparativo é feito pelo responsável pela pesquisa doutor Nelson Barbosa Machado Neto para dar a dimensão do experimento que coordena, com emprego de mutação e voltado ao melhoramento e obtenção de novos cultivares, capazes de solucionar alguns problemas de pastagens. Fato que pode gerar impacto positivo na economia brasileira, em razão de que a cadeia produtiva de carne e leite utiliza esse tipo de forrageira.

 

 

Já são seis anos de implantação do tratamento com a bracharia, pastagem predominante na região de Presidente Prudente que concentra o maior rebanho bovino do Estado de São Paulo, com mais de 2 milhões de cabeças de gado. A novidade é a recente liberação de financiamento para a pesquisa, feita pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Aporte financeiro de R$ 65 mil que deve ser assinado antes do dia 20 deste mês e liberado no começou de 2013. O projeto recebe o nome de ``Indução de variabilidade genética em Urochloa bryzantha (syn. Brachiaria brizantha) para características agronômicas por meio de mutagênese induzida por EMS (etilmetanosulfonato)``.

 

Atuam como pesquisadores associados os doutores Luiz Gonzaga Esteve Vieira, mais conhecido como Santista, e Ceci Castilho Custódio, que contam na equipe com a técnica mestre Edna Antônia Torquato de Agostini. No resumo do projeto apresentado à Fapesp, são feitas exposições de motivos científicos, técnicos e econômicos, para dizer que o trabalho tem como proposta estabelecer um programa de melhoramento da brachiaria  por mutações induzidas, usando o agente mutagênico SEM, para constituir um banco de mutantes devidamente fenotipados, voltados à estudos genéticos e de biologia molecular e, principalmente, na obtenção de novos cultivares a curto prazo em comparação com o requerido em programas de melhoramento convencional da forrageira.

 

O projeto aponta ainda a importância das pastagens no Brasil, o maior exportador de carne do mundo. Também é o maior produtor, consumidor e exportador de sementes de gramíneas forrageiras. A variedade da bracharia objeto da pesquisa é adaptável a diferentes condições climáticas e aos solos ácidos e pobres, com resistência à seca e às pragas, com qualidade nutricional adequada à alimentação bovina. ``A intensificação da produção de bovinos de corte tem gerado uma demanda por cultivares de Urochloa superiores, que devem combinar elevada capacidade de produção e plasticidade ecológica´´, consta do documento remetido à apreciação da Fapesp.

 

Na justificativa, entre outras considerações, é apresentada a informação de que a indução e seleção de mutantes oferecem um método simples, eficiente, rápido e barato para alterar a constituição genética e obter cultivares derivados de genótipos bem adaptados. Os pesquisadores pretendem desenvolver planta com características agronômicas desejáveis: alta produção de matéria verde, resistente ao pisoteio e à cigarrinha da cana-de-açúcar que tem atacado os pastos e que reaja e, situações de condições climáticas desfavoráveis, como a falta de água ou excesso de chuva.

 

O cultivo experimental está em andamento numa área de quatro alqueires, no campus II da Unoeste. São 7.600 plantas, tratadas no campo. Atualmente com 45 dias de vida e a previsão de florescimento para março de 2013. Em agosto deverá ocorrer a colheita de sementes e a instalação dos campos de ensaio para a próxima geração, a segunda de três, sendo que a última deverá ser colhida em março de 2014. A torcida é por encontrar uma planta sexual, que permita a reprodução sexuada, relacionada com processos que envolvem troca e mistura de material genético, possibilitando a variação genética da bracharia.

Este é um projeto educacional sem fins lucrativos.
Ajude-nos a manter este projeto em funcionamento.
Doar